poemas de
ana elisa ribeiro

Luiz Edmundo Alves
Sandra Moreira

 

solteira em depoimento lúgubre

minha vida afetiva foi ficando escassa
depois rarefeita
depois rara
depois nunca.

anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)

sem ele

ele me falta
enche o imenso espaço
entre meus braços
de sua ida
suicido-me amanhã
logo pela manhã
se não achar saída

anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)

salvando o relacionamento

eu sei, meu bem,
que seu sonho era comer
uma sueca alta loura boa

finge, meu amor
fecha o olho e finge
o meu cabelo
a gente tinge.

anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)

é mesmo

eu quero um amor que dure
mas ele parece ser feito
da matéria esparsa dos calendários

alguém que me procure
mas eles parecem feitos
da matéria esquiva dos obituários

alguém que me aconteça
para eles parecem dizer
que não há quem me mereça

anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)

Leilãozinho

escambo:
meus olhos míopes
pelos seus dedos lancinantes

meus sóis de hoje
pelos seus carinhos de antes

um beijo de língua
pelo meu amor à míngua

 

Marco Carvalho Ana Elisa Ribeiro nasceu em Belo Horizonte em Agosto de 1975. formou-se em letras pela UFMG, onde atualmente é mestranda.
Já publicou Poesinha, dentro do Projeto Poesia Orbital, B.H, 1997,
e Perversa, 2002, pela Ciência do Acidente, SP. É professora universitária em Belo Horizonte. escrevaquerida@gmail.com.br
anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)anaelisaribeiro-chave.gif (975 bytes)

voltar