José Renato Pimentel de/na "Madrugada sem Lua" - poeta e artista plástico, prêmio cidade de belo horizonte 1961, exilado em Lagoa Santa, olhos verde/azul, é mais um caso de abandono na poesia brasileira, com uma poesia estranha, extemporânea até, o poeta de "Madrugada sem Lua" 1958, "Vitral de Fogo" 1959, "O Julgamento do Rio" 1961, "O Sangue e o Sal" 1965, "Pão Poema Gume" 1969 e "Parábola em Cinco Falas" 1985, hiberna longe da História do Brasil, trazendo a metáfora como língua poética e a palavra como a terra do sexo, para o primeiro convívio basta pensar a madrugada sem lua, o vitral de fogo, o julgamento do rio, o sangue e o sal, o pão poema gume e a parábola em cinco falas, o lenitivo de serpente no "meu grito de herói, meu sangue guerreiro, minha voz de poeta", eu convido você a prenunciar 5 poemas suspensos de "Parábola em Cinco Falas", eu -
Wilmar Silva

Aécio Flávio
                                        Aécio Flávio